Com um repertório que desconstrói rótulos musicais e agrada todo o público amante de sons instrumentais, o CD ‘Ainda dá Tempo?’ do Projeto Rafael Thomaz Septeto abrange características únicas de apreciação e conhecimento, que mistura a variedade de gêneros, as maneiras de agir da música popular, do jazz e da música erudita, e a instrumentação – do uso de quatro madeiras. Cada faixa possui a sua marca: num repertório com 10 arranjos inéditos do músico Rafael Thomaz (entre eles 7 composições autorais) há espaço para diversos gêneros e estilos, entre eles o choro, o baião, o tango e o jazz contemporâneo.

Todo o repertório se mescla no CD com vinhetas que não estão ali por acaso, fazem conexão com as músicas do álbum, demonstrando os ambientes em que as partituras irão se desenvolver. Elas aparecem com a ideia de trabalhar a parte eletroacústica da mixagem e de processamento do áudio, feitos pelo Rafael Thomaz – que também elaborou as composições e arranjos.

Os músicos já passaram em turnê pelo interior de São Paulo, levando shows e workshops exclusivos e gratuitos – inclusive com acessibilidade total para idosos, deficientes físicos e visuais. O projeto cultural realizado por meio de incentivo do ProAC-SP, Programa de Incentivo à Cultura do Estado de São Paulo, e produção executiva de Guido Barella, teve a gravação do disco realizado no Estúdio do Mario Porto, em Barão Geraldo.

Formado por quatro instrumentistas de sopro madeiras (Cesar Pereira na flauta, André Fajersztajn no clarinete, Martin Lazarov no oboé e Bruno Cabral nos saxofones) mais trio de base (Rafael Thomaz na guitarra e no violão, Henrique Tarrason no contrabaixo e Fabio Augustinis na bateria).

 

Veja o perfil dos músicos do septeto.

Categorias: Blog